Zoo de Luján: o zoo mais famoso e polêmico da cidade

Hoje é dia de um post meio polêmico. Há quem goste e morra de vontade de visitar. Há quem repudie e diga que é um absurdo o que fazem. Ficou curioso? Pois bem, o assunto do dia: Zoológico de Luján.

Pra quem não conhece (e não está entendendo o porque da polêmica) o Zoo de Luján é super famoso pelo fato de permitir o contato dos visitantes com os animais. Mas não são animais que estamos acostumados a brincar . São leões, tigres, ursos e por aí vai.

Mas como os animais interagem com você sem chegar ao nível te cortar em pedacinhos?Ahá!Aí que está! Há quem diga que os animais são dopados. Mas calma,vamos por partes. Vou compartilhar o meu ponto de vista.

Zoo de Luján Argentina

O zoo mais parece uma fazenda. Fica fora da grande Buenos Aires (a 75 km da capital portenha) e é passeio pra um dia inteiro.

Zoo de Luján Argentina

Zoo de Luján Argentina

Eu sempre alimentei um certo preconceito sobre o lugar. Mas como os amigos estavam todos loucos-alucinados de curiosidade, aproveitei a oportunidade e fui.

Pra perder o medo logo de cara, entramos na fila da jaula dos tigres. Sim, há filas e geralmente (com exceção da do leão, que é a mais concorrida e tem um funcionamento diferente) não demoram muito. Entram duas pessoas por vez.

Tirando uma soneca...

Tirando uma soneca…

Nada de pânico! Dentro de cada jaula tem pelo menos um cuidador e um cachorro. Os cuidadores são super simpáticos, se viram bem no português e tiram todas as suas dúvidas. Nós perguntamos qual era a função dos cachorros nas jaulas. Eles nos disseram que por mais que eles conheçam e saibam lidar com os animais, não possuem o instinto animal. E daí entra o cachorro. Qualquer mudança de comportamento que os felinos tenham, o cachorro pula neles, não para brigar e sim para brincar! Juro que vi um tigre brincando com um cachorro!

Nessa jaula eles estavam dormindo. Mas em alguns momentos eles se levantam e dão umas voltinhas, na maior tranquilidade.

Zoo de Luján ArgentinaObviamente a jaula do leão é a mais concorrida, com as maiores filas. Nela entram grupos de 10 pessoas de uma só vez. Um dos cuidadores tira a sua foto individual (eles batem umas 5 de uma vez, pra não ter erro!) para o processo ser mais rápido. Quando entramos, o grande rei da floresta estava completamente capotado, indiferente a qualquer movimentação na jaula…

Zoo de Luján ArgentinaA única advertência que todos dão, serve para todos os felinos, é que quando você toque nos animais, que passe a mão em um único sentido, com movimentos firmes e somente ao longo do corpo. Nada de movimentos muito bruscos! Nunca na cabeça porque o animal pode entender como uma ameaça. Preciso dizer que é uma delícia? Tipo passar a mão em um cachorro só que vivendo perigosamente?

Daí vocês podem me perguntar: os animais estão completamente dopados!? Não sei dizer! Esses de grande porte e ditos como mais selvagens, estão sim super calmos. Há um leite, que para muitos parece suspeito, que é colocado na pata dos animais e eles lambem o tal leitinho. Mas nos garantiram que, quando o zoo fecha, os animais saem para passear, com coleiras, como se fossem cachorros mesmo. E garantem que eles não são medicados/dopados. Que os hábitos desses animais são noturnos (e realmente depois de um certo horário, quando o zoo está quase fechando, os animais ficam mais agitados) e que são assim tranquilos, porque desde que nasceram tem contato com humanos.

Mas nem todos são assim, calmos. O filhote de tigre é hiperativo! Brinca todo o tempo, não tem como não cair de amores e querer levar pra casa!

Olha a lindeza!

Olha a lindeza!

E esse "sorrindo" pra foto?

E esse filhote de leão “sorrindo” pra foto?

Outros animais são adestrados. A Sharima e a Arly são a prova disso!

Sharima e Arly

Sharima e Arly

Sem dúvida a atração mais divertida! Você pega dois pedaços de fruta dentro de uma caixa e fica de costas pra uma delas. Elas comem diretamente da sua mão! O charme fica para o final: enquanto você posa para uma das fotos, elas também posam no fundo! Levantam a tromba e uma das patas, charmosérrimas!

Já que entramos no quesito alimentação, você pode alimentar determinados animais (com a comida própria, vendida no local):

Zoo de Luján Argentina

Alimentando um simpático bode…

O urso a espera do alimento...

O urso a espera do alimento…

Uma lhama que não quis esperar e foi em busca da sua própria comida

Uma lhama que não quis esperar e foi em busca da sua própria comida

Balanço geral: em muitos momentos fiquei me questionando se realmente eles não estavam dopados. Mas eu estaria mentindo se falasse que não gostei do passeio. Gostei e muito! Óbvio que sempre tive vontade de passar a mão, sentir como é o pelo de um leão e de um tigre. E de ver um filhote assim tão de perto.

No quesito segurança, não me senti ameaçada. Quando os animais começam a ficar mais agitados, eles interrompem a visita na jaula, até que o animal se acalme novamente.

Os animais parecem ser bem tratados, os cuidadores são experientes e tem carinho por eles. Vimos as jaulas limpas, eles sendo alimentados, respeitando intervalos de visitação (pra dar uma folga pros animais também,né?).

Todos os meus amigos amaram o passeio, saíram de lá super felizes, com o cartão de memória das máquinas abarrotado de fotos, uma mais linda que a outra.

É uma experiência única, que vale muito a pena!

Pra não parecer que fiquei só de longe, dando zoom nos animais, eis a prova!

A leoa é tão simpática que até posou pra foto!

A leoa é tão simpática que até posou pra foto!

Algumas dicas: * se estiver um dia de sol, passe muito protetor solar. O local é completamente aberto, sem opções de sombra.

* se o tempo estiver meio chuvoso, não recomendo a visita. O lugar deve ficar pura lama!!!

* levamos nossa própria comida: alguns lanches e petiscos rápidos. Mas o lugar conta com uma opção (valor não incluído na entrada) de parrilla tenedor libre (paga um valor fixo e pode comer a vontade): crianças até 10 anos $50 pesos e acima dessa idade $120 pesos (valores de abril de 2013)
* Crianças não são permitidas dentro das jaulas dos tigres e leão.

Pra quem ficou curioso:

Zoo de Luján – Au. Acceso Oeste  Luján, Buenos Aires

Valores de entrada : – Não residentes: $130 pesos

– Residentes (que tenham DNI, ou seja, documento argentino): * Maiores de 12 anos:  $ 70 pesos

* De 2 a 11 anos : $ 50 pesos
* Menores de 2 anos : Grátis

Como chegar: A forma mais econômica de chegar até lá (que foi a que fizemos) é pegar o ônibus da linha 57 (chama-se Atlantida, é vermelho e azul). Para pegá-lo, fomos até a Plaza Itália em Palermo (estação de metrô Plaza Itália da linha D; pertinho do Zoo de Palermo, na Av.Sarmiento).

O ponto do ônibus 57 fica bem em frente a Rural (centro de exposições, pode perguntar que todo mundo conhece).

Avise ao motorista que você quer ficar no Zoo de Luján que ele te avisa quando chegar (te deixa na porta do zoológico!). Pagamos cerca de $10 pesos na passagem de ida, com o cartão SUBE (sem o cartão fica um pouco mais caro). Se você tem o cartão, não esqueça de colocar crédito o suficiente para ida e volta. Porque chegando lá, não tem como recarregá-lo para a volta!!! E caso você não tenha o cartão, adquira moedas suficientes para pagar as passagens! (não aceitam notas!)

A viagem dura cerca de uma hora e meia. O ônibus é confortável, estilo ônibus de viagem mesmo.

Pra quem quiser uma opção mais cômoda, algumas empresas fazem o passeio. Buscam no hotel, levam pro zoo, dão uma passadinha na famosa e linda igreja de Luján e levam de volta pro hotel. Não conheço o trabalho, mas elas são muito requisitadas.

Exemplos de algumas empresas: * Empresa Zootour –  www.zootour.com.ar

* Buenos Aires 4u – www.bsas4u.com

Para maiores informações: www.zoolujan.com

VALORES ATUALIZADOS (SETEMBRO 2013): Passagem de ônibus (linea 57): $15,85 pesos

Entrada no zoo para não residentes: $150,00 pesos.

Anúncios