Casa Mínima: história nas ruas de San Telmo

Sempre que apresentamos San Telmo a parentes e amigos, damos uma passadinha na Pasaje San Lorenzo para que conheçam a Casa Mínima.

Em uma dessas visitas, uma brasileira me parou e perguntou: “Porque as pessoas tiram tantas fotos dessa casa?”. Foi aí que percebi que muita gente passa batido pela casa, acha que é uma casa qualquer e que turista é um bicho maluco que sai fotografando tudo o que vê pela frente.

Pois bem, o post de hoje é um pouquinho de história local. Com vocês, a Casa Mínima.

Casa Minima San Telmo Buenos Aires

Mas porque Casa Mínima? Porque possui 2,5 metros de largura e 13 metros de profundidade, ou seja, é a casa mais estreita de Buenos Aires.

São várias as lendas que rondam o local. Uma delas diz Buenos Aires tinha uma  grande quantidade de escravos negros na primeira metade do século XIX .Com a abolição da escravatura, um escravo de José Urquiza, ao ser libertado, recebeu essa casa em 1813.

Mas de acordo com os historiadores do Museu Arqueológico de El Zanjón (museu vizinho a casa), a casa sempre foi parte de uma residência maior, grandiosa na esquina das calles Defensa e San Lorenzo.

Sabe-se que foi construída em 1807 e era uma residência típica de estilo espanhol, com um pátio central e entrada lateral para carruagens. A Casa Mínima é o que restou desta grande construção. Dizem que esta área da casa, servia como um tipo de torre de vigia, devido ao fato de o telhado ser bem mais elevado do que a do resto da construção.

Casa Mínima San Telmo Buenos Aires

Em 1871, uma epidemia de febre amarela eclodiu em San Telmo(bairro mais antigo de Buenos Aires), os moradores ricos fugiram para bairros mais ao norte (como a Recoleta) e suas casas em San Telmo foram vendidas. Viraram cortiços ou foram tomadas por imigrantes que vinham da Europa. 

O casarão foi dividido em 3 cortiços, surgindo assim, a Casa Mínima com suas dimensões atuais.

A última pessoa a viver na casa era um artesão na década de 1970. Em 2007, toda a estrutura foi aberta ao público e as visitas guiadas são feitas pelo museu El Zanjón.

Fonte: The Argentina Independent

Não conhecemos a casa por dentro (na verdade acho a visita guiada meio carinha) mas acho que vale a visita externa. Na próxima visita a San Telmo, dá uma passadinha por lá. Ela realmente é apertadinha no meio das outras construções, mais um charme e uma viagem no tempo que San Telmo nos proporciona.

Pra quem ficou curioso:

Casa Mínima – Pasaje San Lorenzo 380 (esquina com Defensa) – San Telmo

Visitas guiadas: sextas-feiras as 15h (deve ser previamente combinada com o pessoal do museu). Tem duração de 90 minutos e inclui um tour pelo museu El Zanjón (casarão com escavações arqueológicas,  com labirintos de túneis que levam ao Rio da Prata).

Valores (abril 2013) – Em espanhol: 130 pesos

Em inglês: 150 pesos

Para maiores informações: www.elzanjon.com.ar

Anúncios