Trabalho solidário: fazer o bem ao próximo e a si mesmo

Um dia desses minha irmã chegou em casa contando que no fim do ano, fará uma viagem com a escola para ajudar alguma comunidade. Como assim? Eles elegem uma cidade do interior da Argentina, vão até lá e oferecem serviços que a comunidade precisa, como por exemplo, pintar e reformar casas.

Achamos uma ideia tão incrível, tão inspiradora, que me lembrei de uma reportagem que li há algum tempo sobre ONGs daqui. O post de hoje é sobre isso: alguns projetos solidários argentinos e como ajudá-los.

Damas Rosadas

Adriana Saluzzi, Dama Rosada Foto: Reprodução La Nación

Foi criada em 1959 pela senhora Eloísa Casal. Rapidamente um grupo de mulheres se uniu ao “Serviço de Voluntárias para Hospitais”. Hoje em dia já somam mais de 400 voluntárias, entre 21 e 70 anos.

Elas trabalham em parceria com os profissionais da saúde em consultórios, lactários (preparam fórmulas lácteas todos os dias do ano!), asseguram a presença materna com a criança internada, acompanham as famílias de recém nascidos prematuros ou doentes e promovem campanhas de amamentação.

Além disso há apoio as mães que necessitam trabalhar: os filhos (de 45 dias a 3 anos) ficam durante o dia em um lar (Hogar de Día Casa Nuestra Señora de los Niños), sendo alimentados e cuidados enquanto suas mães trabalham.

Segundo elas, não é uma terapia. Para poder ajudar os outros, devem estar bem com elas mesmas, estar inteiras, para poder fazer bem o trabalho, para poder atender as necessidades do outro.

Porque Damas Rosadas? Porque usam jalecos rosas, uma referência as guerras européias do século XX: as enfermeiras manchavam suas roupas com sangue e mesmo com as lavagens, ficavam cor de rosa.

Para maiores informações: www.damasrosadas.org.ar

 Banco de Alimentos

Foto: Reprodução site oficial

Trata-se do primeiro banco de alimentos da Argentina . Tem como missão ajudar a todos que sofrem com a fome.

Gestionam doações de alimentos para que possam ser entregues a organizações, refeitórios, asilos, escolas e jardins de infância.

Em 2001, quando foi realizada sua primeira entrega de alimentos, entregaram 300 mil quilos de comida. Em 2012, superou os 3,9 milhões de quilos.

Para maiores informações: www.bancodealimentos.org.ar

 Fundación Sí

Foto: reprodução página oficial

Possui vários projetos de inclusão social. Um dos mais famosos, é a “Recorrida por el frío”.

“Recorrida por el frío” surgiu em 2009 por iniciativa de 3 voluntários. Atualmente são 2000 voluntários que percorrem diariamente as ruas com sopas e casacos para quem dorme nas ruas.

Começou com o objetivo de que ninguém morresse de frio nas ruas. Mas com o avanço do projeto, foram criados vínculos afetivos e de confiança entre os voluntários e os auxiliados e com isso, foi iniciado um projeto de reinserção dessas pessoas a sociedade. Há o acompanhamento de grávidas e bebês, atenção médica, busca de emprego e volta aos estudos de jovens e adultos.

Para maiores informações: www.fundacionsi.org.ar

Projeto Recorrida por el Frío: www.fundacionsi.org.ar/proyecto/detalleProyecto/1 

Techo

Foto: Facebook Techo

É uma organização presente na América Latina e Caribe que procura superar a situação de pobreza nos assentamentos precários, através da ação conjunta entre população e jovens voluntários.

Com o slogan “Um teto para meu país”, milhares de voluntários, sobretudo jovens, trabalham construindo casas e ajudando na reinserção dos moradores à sociedade. Mais de 1300 pessoas se formaram em diferentes áreas como cabeleireiros, costureiros, eletricidade e panificação.

Para maiores informações: www.techo.org/argentina

Cafe Pendiente

Foto: reprodução Facebook oficial

Nova iniciativa que está dando o que falar. Uma forma simples e acessível para ajudar ao próximo.

O projeto surgiu em Nápoles, Itália, com o nome de “Caffe Sospeso” e com as redes sociais se tornou popular em todo o mundo.

Funciona assim: você toma o seu café e deixa outro café pago. Mas diferente de outras campanhas parecidas que já vi por aí, neste caso, os cafés pagos são oferecidos a quem não tem recurso para comprar.

Em alguns dos locais, ao pagar o café, o estabelecimento incorpora alguma comida (torrada, medialuna, pão).

Para identificar os estabelecimentos participantes, procure o logo da foto acima ou entre no site e veja os participantes.

Para maiores informações: www.uncafependiente.com.ar

www.facebook.com/CafePendiente

Conhece algum outro projeto? Conta pra gente!

 

 

Anúncios