Morar em Buenos Aires: respondendo as principais dúvidas

Ultimamente tenho recebido uma avalanche de perguntas sobre como é viver em Buenos Aires. Em relação a custos, aluguel de apartamentos, trabalho, estudo… para resolver essas dúvidas, finalmente um post dedicado a isso.

Como sempre comento com vocês, algumas coisas realmente não tenho conhecimento, mas deixarei alguns links de posts de blogs que confio para ajudar vocês,ok? Qualquer outra dúvida, entrem nos posts da categoria Guia de Sobrevivência” ou deixem perguntas nos comentários.

* Documento

O principal não é mesmo? Deixo aqui um post completíssimo que Gustavo, do Ali em Buenos Aires fez quando estava por terras argentinas. Nele, ele explica tudinho que é necessário para tirar o DNI (Documento Nacional de Identificación). Clica aqui pra conferir.

Obs: os valores podem estar desatualizados, mas o processo acredito que continua sendo o mesmo, ok? Para maiores informações, acesse o site oficial aqui.

* Moradia

A primeira dúvida é: em que bairro morar? Isso depende de várias questões: vem com família? Vai morar sozinho? Gosta de badalação ou refere um bairro mais calmo? Quer morar perto do trabalho? Questão financeira:quanto pode gastar com o aluguel?

Nós moramos em Palermo e adoramos. Tem tudo por perto (padaria, farmácia, shopping, várias escolas, praças, restaurantes), passam várias linhas de ônibus e temos a linha D do metrô. Mas nossa primeira opção era Belgrano: bairro super tranquilo, lindo de morrer, bem residencial. Mas o problema é que lá existe pouca oferta de apartamentos para temporada (já explico isso) e tivemos que mudar os planos.

Outros bairros ótimos são Villa Crespo (super tranquilo e residencial, cheio de restaurantes deliciosos e perto de Palermo Soho), Barrio Norte/Recoleta (também tem de tudo, seria uma continuação de Palermo. Talvez a Recoleta seja um pouquinho mais cara, mas é uma questão de procurar). Particularmente conheço mais esses bairros (porque tivemos a sorte de chegar em Palermo e ficar aqui), mas nesse post aqui da Amanda,, do Buenos Aires para Chicas e do Amanda Mormito ela com toda sua experiência de mudanças e mais de 8 anos de BsAs te explica como é bairro a bairro.

Vale a pena ressaltar que: ambiente não significa quartos,ok? Então um apartamento com 3 ambientes não significa que tem 3 quartos! São 2 quartos e o outro ambiente é a sala. Cuidado com isso porque nos demos mal no primeiro apartamento por não saber esse pequeno detalhe…

Os apartamentos-casas de Buenos Aires englobam duas opções:

– Apartamentos (departamento) por temporada: recebem esse nome porque a maioria está voltada a turistas que não querem ficar em hotéis e preferem alugar um apartamento. Porém, você pode negociar um contrato maior do que o prazo estipulado (desde que haja disponibilidade do imóvel, claro). Esses apartamentos são prontos para morar: mobiliados, com eletrodomésticos e utensílios de cozinha, roupa de cama e de banho, wi-fi, tv a cabo e geralmente o preço inclui água, luz, gás e telefone. Maravilha, certo? Sim, mas tem um probleminha: são cobrados em dólar e você deve deixar um depósito “seguro” com o dono. Isso é uma garantia pra ele. Se no fim do contrato você entregar o apto direitinho, do jeito que recebeu, o dinheiro volta pra você. Existem vários sites, alguns mediados por imobiliárias e outro no qual você negocia diretamente com o dono. Vale a pena ressaltar que quando se negocia com o dono, a chance dele aceitar o pagamento em peso aumenta.

– Apartamentos comuns: chamo de comuns os apartamentos que estamos acostumados no Brasil, ou seja, apartamento vazio, você tem comprar tudo. Esses são mais baratos e você paga tudo separado: aluguel, condomínio, conta de luz, de água, gás, custos com internet e tv a cabo. O que vale a pena destacar é que em muitos bairros o governo ainda subsidia esses gastos, ou seja, luz/água/gás são bem mais baratos que no Brasil.

O inconveniente nesse caso seria ter que trazer a mudança do Brasil ou comprar tudo novo por essas bandas. O que me leva ao segundo ponto: não tenho ideia de quanto custam essas coisas. Optamos por um apartamento já mobiliado pela praticidade e porque temos prazo de validade em Buenos. Mas pra quem quer ter mais ou menos uma ideia de eletrodomésticos, recomendo entrar nos sites de lojas como Frávega, Garbarino, Rodo, Falabella.

Utilizamos basicamente duas ferramentas de busca de apartamentos:

* Zona Prop – www.zonaprop.com.ar (te dá a opção de pesquisa por peso ou dólar)

* Solo Dueños – www.soloduenos.com

Pra quem quer dividir apartamento, existe esse site aqui (nunca usamos, mas é bem famoso): www.compartodepto.com

Ah Buenos Aires…😍 #bsas #buenosaires #santelmo #igersbsas

A post shared by Pindalolas (@pindalolas) on

* Trabalho

Infelizmente nesse quesito não podemos ajudar. Toda a família veio a estudo (colégio, doutorado e pós) e nunca utilizamos ferramentas para buscar trabalho. Também estamos por fora quanto a informações sobre salário, benefícios, mercado de trabalho. O que sei é que existem ferramentas famosas por aqui, recomendadas pelos nossos vizinhos de blog (e se eles recomendam, nós acreditamos!). Deixo aqui os sites recomendados pela Amanda. Quem quiser saber mais informações de como é trabalhar aqui, entra nesse post completíssimo dela.

* Zona Jobs – www.zonajobs.com.ar

* Computrabajo – www.computrabajo.com.ar

* Bumeran – www.bumeran.com.ar

Vale a pena dizer que para algumas carreiras (saúde, principalmente) é imprescindível a revalidação do título (nesse link veja o item número 6).

* Estudos

-Escola: Pra quem vem com filho, as escolas daqui são muito boas. O ensino fundamental (primária) vai até o 7º grado e o ensino médio (secundária) tem 5 anos (ou seja, no final, dá na mesma que no Brasil, somando 12 anos de ensino no total). O ensino fundamental geralmente fica o dia inteiro no colégio (de 8h até 16:30h). Já os maiores são liberados mais cedo. Na maioria dos colégios particulares existem duas opções: colégio normal ou bilíngue. No caso do bilíngue (acredito que seja somente para a secundária), os alunos tem algumas matérias em inglês.

Todos os documentos necessários para que seu filho possa estudar aqui são informados pelo Consulado da Argentina no seu Estado. Não nos lembramos bem todos os documentos, mas envolviam reconhecimento de firma, carimbo do MEC e do Ministério de Relações Exteriores.

-Fazer faculdade: não tenho muito conhecimento sobre o tema, mas deixo esse post pra vocês terem uma ideia de como funciona entrar para a UBA. o ITEM 2 desse link também explica o que é necessário para entrar na UBA.

-Pós: tive que fazer reconhecimento de firma do meu diploma e levá-lo ao Ministério de Relações Exteriores para receber o carimbo do “Acordo Bilateral Argentina-Brasil”. Pelas dúvidas também trouxe todas as minhas notas, programas da faculdade, todos devidamente reconhecidos em cartório e com o tal do carimbo do Ministério de Relações Exteriores.

Faço uma pós na área da saúde na UBA (Universidad de Buenos Aires) e quando me mudei para cá o único que me pediram foi o diploma traduzido por um tradutor reconhecido pelo “Colégio de Traductores”. Você leva pra algum dos tradutores traduzirem, reconhece no colégio de tradutores e depois marca um turno na UBA, leva uma cópia de tudo isso e eles te dão um carimbo. Com isso pude fazer minha pós. Porém a situação mudou recentemente. Então vale a pena conferir na sua instituição o que é realmente necessário,ok?

Falsos amigos em espanhol clase- aula

* Supermercado

Aqui a coisa complica um pouquinho. Com a inflação louca, fazer compra no supermercado é sempre uma caixinha de surpresas. Uma coisa é fato: $100 pesos vão embora fácil. Fiz uma listinha com o preço de alguns produtos (valores de outubro de 2014), mas quem quiser ter uma ideia melhor, pode entrar na página do Disco ou do Coto e pesquisar os produtos.

– Leite (litro): $10 pesos

– Macarrão (pacote talharim): $12 pesos

– Óleo (1,5L): $13 pesos

-Manteiga (200g): $13,50 pesos

– Açúcar (kg): $9 pesos

– Arroz (kg): $11 pesos

– Café (500g): $46 pesos

– Farinha (kg): $9 pesos

– Coca-Cola (2,25L): $22 pesos

– Água mineral (5L):$24pesos

– Papel higiênico (x4 folha dupla): $ 17 pesos

– Sabão em pó (3kg): $71 pesos

Uma dica é utilizar os cupons de desconto que eles dão e ficar de olho nos dias das promoções (exemplo: segunda-feira com promoção de lácteos, terça de carne, etc).

* Plano de saúde

Em geral não tem carência e é mais barato que o do Brasil. Outra vantagem é que se a pessoa está se sentindo muito mal, o médico vai até a casa dela. Pode cancelar a qualquer momento, sem problemas e encheções de saco.

* Transporte

Uma das melhores coisas de BsAs. Os portenhos reclamam, mas quem está acostumado com o transporte do RJ (falo por experiência própria) acha o daqui uma maravilha. Os ônibus funcionam muito bem (a galera vai e volta das nights/baladas de ônibus na maior tranquilidade), o metrô por mais que seja quente e cheio, funciona com suas várias linhas. A maioria das pessoas que conheço não tem carro e não sentem falta dele. Obviamente os que moram nas províncias precisam de carro, mas de maneira geral, você se vira muito bem sem um automóvel. Bicicletas tem sido um meio de transporte que tem funcionado muito bem também.

Tanto metrô como ônibus são subsidiados pelo governo, mas ultimamente deram uma bela subida nos preços. Para facilitar a vida de quem pega ônibus (e não ter que ficar juntando moedas), recomendo fazer a SUBE (também serve para o metrô). Com o cartão SUBE as passagens de ônibus ficam por volta de $ 3,25 – $3,50. Sem ela, a passagem pode subir para $5 a 8 pesos! (imagine conseguir tudo isso em moeda?). Atualmente o metrô sai $4.50 a passagem (todos os valores são de outubro de 2014).

Links úteis

Mapa do subte (metrô) 

SUBE: onde fazer (obtención), onde carregar (carga)

Nesse post aqui expliquei sobre o Guia T que é super útil pra quem pega ônibus.

* Lazer

Um ponto super positivo em Buenos Aires. São vários os eventos que a cidade promove (feiras de comidas naturais, feira do livro, feira de design -Feria Puro Diseño, festival de tango), são várias as praças onde você pode se reunir com os seus amigos pra fazer um pic-nic, existe aluguel de bicicleta em vários pontos espalhados pela cidade, os museus sempre tem alguma exposição nova. O cinema além de ter as opções holywoodianas, conta com algumas salas reservadas ao cinema argentino (acho o máximo essa valorização a cultura. Além dos filmes serem muito bons,claro!). Sai por cerca de $65-80 pesos (valor outubro 2014). Atenção: não existe meia entrada,ok?

Teatro também é super valorizado (basta ver as enormes filas nos fins de semana a noite na Av.Corrientes e como esgotam rapidamente os ingressos pro Teatro Colón), mas obviamente que os valores são um pouco mais elevados (assim como o teatro no Brasil).

Comer fora continua sendo mais barato aqui do que no Brasil. Nos dias de semana, principalmente. Isso porque a maioria dos restaurantes conta com um menu executivo super em conta. Atualmente vários locais possuem esse menu (principal+bebida+café OU sobremesa) por 100 pesos. Fim de semana, sem esses preços especiais, a conta fica um pouco mais alta, mas volto a dizer, geralmente sai mais barato do que no Brasil.

Plaza Vicente López RecoletaConsiderações finais:

* Vale a pena morar em BsAs?

Depende de qual o seu propósito. Se for para juntar dinheiro, não. A inflação é grande, não há a cultura da poupança por aqui. O costume habitual é tirar o que tem do banco, comprar dólar e guardar em casa. Mas com as barreiras de compra ao dólar, isso tem sido cada vez mais difícil. Juntar dinheiro para viajar é praticamente impossível: as passagens são muito caras, há uma série de barreiras impostas pela AFIP para compra de moeda estrangeira (leia-se dólar), há uma taxa de 35% no cartão de crédito utilizado no exterior.

Se seu propósito é experiência de vida e vivenciar uma nova cultura, venha! Vale muito a pena, isso sempre valerá a pena. Uma cultura riquíssima, totalmente diferente da nossa, mesmo que sejamos vizinhos. Isso tem um outro lado: o da adaptação. Os primeiros meses são difíceis, é um baita choque cultural (é vendedor que não te atende bem, você recebe umas patadas na rua, tem a hora da siesta que fecha várias lojas, não tem o tal do jeitinho brasileiro), leva um tempo você entender que não é apenas com você e sim uma forma habitual deles. Insiste, persiste, respira e vai fundo que uma hora você se acostuma! E daí você entra em um estado de encantamento e amor com a cidade. Tem problemas? ÓBVIO QUE TEM! Todo lugar tem problemas! Não venha com a ilusão de que aqui tudo é lindo, funciona maravilhosamente bem, o país dos sonhos. Nenhum lugar é assim. Buenos tem seus problemas como qualquer lugar do mundo, mas é uma cidade maravilhosa, que dá gosto de viver.

Outra coisa: não venha porque não aguenta mais o Brasil ,porque volto a repetir: aqui também existem problemas, o que muda é a língua! Costumo dizer que “os perrengues são basicamente os mesmos, só que em outra língua”. Não venha com a ideia de que é glamouroso viver aqui. Venha com um propósito: trabalhar, aprender algo novo, investir em um curso pra carreira ou até mesmo em um curso de espanhol, querer vivenciar outra cultura. Aí sim é super válido e dou o maior apoio!

Não será fácil no início. Dá saudade de casa sim, dá vontade de sair correndo sim, dá saudade da pátria amada sim! Mas ninguém disse que seria fácil,certo? Aproveite cada dia, aproveite a jornada, aproveite tudo o que a cidade pode te oferecer. Buenos Aires é apaixonante, te conquista, mas como todo relacionamento, leva um tempo para vocês se conhecerem, se acostumarem um com o outro, mas depois…é só amor! ❤

 

Anúncios