Colégios em Buenos Aires: tentando solucionar algumas das principais dúvidas

Atendendo a várias mensagens que estamos recebendo, no post de hoje falamos um pouco sobre escolas em Buenos Aires.

Mas antes de qualquer coisa, preciso esclarecer alguns pontos:

* Os colégios citados são fonte de pesquisas na internet e de algumas consultorias que fiz com as minhas irmãs (pelo convívio delas com alunos de diversos colégios).

* Não tenho ideia dos valores de cada um. Na mini lista há desde os mais caros até os públicos, o que levei em consideração foi a qualidade do ensino.

* É muito difícil indicar um colégio porque essa decisão parte de “n” motivos: localização da pessoa em Buenos Aires (em que bairro mora), maneira de locomoção (tem carro? A criança pode ir sozinha ao colégio de ônibus/metrô?), condições financeiras, proposta de ensino, opção religiosa, etc. Por isso continuo afirmando que a melhor maneira de escolher um colégio é pesquisar, anotar endereços e principalmente visitá-lo! Anotamos vários endereços de escolas para minhas irmãs e quando chegamos em algumas delas, quebramos a cara (por vários motivos). Somos da teoria que tem que ter uma sintonia com o lugar, o santo tem que bater, você tem que ouvir sininhos tocando, aquela luz, sei lá! Somente indo até lá, visitando com seu filho (porque a opinião dele é muito importante! É ele quem vai passar uma boa parte da vida lá), perguntando tudo o que deseja saber, conhecendo a equipe pedagógica é que você pode tomar essa difícil decisão.

Outras considerações:

– A divisão de séries na Argentina é diferente da do Brasil: são 7 séries no que eles chamam de primaria (ensino fundamental; utiliza-se a denominação grado. Exemplo: 6° grado = 6ª série) e 5 séries no que eles chamam de secundária (ensino médio; utiliza-se a denominação año. Exemplo: 5° año). Mas no final dá na mesma porque somam 12 anos assim como no Brasil (que são 9 no fundamental e 3 no ensino médio).

– Todos os colégios possuem uniforme. Os particulares com aquele uniforme estilo “Rebelde” (ser irmã mais velha te dá conhecimentos sobre novelas juvenis): saia, camisa (ou camiseta polo), meião, sapato de couro, calça social (para os meninos). Os públicos geralmente tem um jaleco por cima da roupa da criança (não sei como funcionam nos públicos para alunos da secundária).

– Os colégios mais concorridos possuem provas para o aluno ser aceito. Quando a mudança é do 7° grado para o 1° año a coisa ainda piora: para os super concorridos há programas chamados “curso preparatorio” para se preparar para o exámen de ingreso (prova classificatória para a entrada do aluno ao colégio).

– Muitos colégios possuem a opção bilíngue durante a secundária: os alunos tem aula normalmente durante a manhã e a tarde (depois do almoço) voltam para o colégio para aulas em inglês. Os valores de mensalidade são diferentes.

– Em muitas escolas os alunos da primária passam o dia todo no colégio (de 8 da manhã as 16:30). De manhã os alunos tem as aulas normalmente e a tarde possuem aulas de inglês, apoio para fazer o dever de casa, aulas como música, robótica, etc. Por isso é muito comum a prática de levar o seu próprio almoço ou comer através de catering (comida encomendada e entregue no colégio).

– Os talleres são frequentes em várias instituições. São aulas fora do circuito comum, como por exemplo, culinária, rádio e tv, robótica, todas incluídas na mensalidade.

–  Os actos pátrios são levados muito a sério. São aqueles eventos onde se hasteia a bandeira do país, cantam o hino, contam a história da data. Levar a bandeira do país é motivo de orgulho e comoção reservado somente aos melhores alunos do colégio (o dia em que minha irmã carregou a bandeira foi motivo de alvoroço, comoção e cumprimentos orgulhosíssimos a meus pais. Para eles era uma honra ter a bandeira levada por uma brasileira, uma demonstração de respeito e amor a cultura deles).

– Muitos colégios não possuem quadras para a realização da aula de educação física (que é feita geralmente no período da tarde). Para solucionar o problema, as escolas fazem convênio com clubes particulares e levam os alunos de ônibus escolar até lá (mas já vimos alguns colégios que atribuíam a função aos alunos, ou seja, tinham que ir por conta própria).

– Os professores valorizam muito os debates. Sobre qualquer tema, a qualquer hora. Para eles é muito importante que o aluno exponha o seu ponto de vista, questione, exerça a troca de pontos de vista diferentes.

Levando tudo isso em consideração, segue uma mini lista com alguns nomes para vocês conhecerem um pouquinho. Caso vocês queiram outras opções, sugiro que entrem no site elegircolegio.com ,  que tem lista de acordo a região, privado ou público, mostra um pouquinho a filosofia do colégio e dá o link para a página oficial. Ufa! Espero ter ajudado!

* Colégio Palermo Chico

Fundado em 1988 é um colégio católico e misto (meninos e meninas). Dentre seus princípios prezam por uma sólida formação espiritual baseada nos princípios da religião católica apostólica romana, amor a pátria, lealdade e companheirismo, oferecem domínio do inglês e que os alunos sejam capazes de atuar com liberdade, responsabilidade, solidariedade e respeito.

Possui biblioteca, instalações de informática e espaço para realização de atividades esportivas.

Oferece desde os níveis iniciais (jardim) até a secundária.

Onde: Thames 2037 – Palermo

Guatemala 4892 – Palermo

Para maiores informações: www.colegiopalermochico.com.ar

Foto: Reprodução

 *EAM (Escuela Argentina Modelo)

Fundada em 1918, mas está desde 1926 na atual localização. Colegio privado, misto e laico (com orientação católica optativa). Oferece níveis primário e secundário.

O colégio conta com biblioteca, auditório, laboratório de ciências, instalações para a prática de esportes, instalações de informática e de arte.

Possui aula de português.

Onde: Riobamba 1059 – Barrio Norte (perto da famosa livraria “El Ateneo”)

www.eam.esc.edu.ar

Foto: Reprodução

*Northlands

Um pouco mais afastado da região central de Buenos Aires, esse colégio bilíngue (inglês britânico) é privado, misto e laico. Oferece desde jardim até o nível secundário. Possui biblioteca, instalações para a realização de esportes, instalações de informática, laboratório de ciências e transporte escolar.

Possuem um programa de apoio de espanhol para estrangeiros.

Onde: Roma 1248  – Vicente López

www.northlands.org.ar

Foto: Reprodução

* Colegio Nacional de Buenos Aires (C.N.B.A)

Colégio público tradicional e famoso de Buenos Aires, vinculado a UBA (Universidad de Buenos Aires). O sexto año está articulado a entrada a UBA.  Laico e misto, é o estabelecimento de ensino secundário mais antigo de Buenos Aires (foi fundado em 1863 por Bartolomeu Mitre e incorporado a UBA em 1911).

Para entrar é necessário fazer um curso preparatório composto por várias provas (o curso dura um ano), pois é um colégio muito concorrido. Somente para a secundária.

Onde: Bolívar 263 – San Nicolás (perto da Plaza de Mayo)

www.cnba.uba.ar

Foto: Reprodução

*Instituto Libre de Segunda Enseñanza (ILSE)

Colégio privado, tradicional fundado em 1892, que segue o modelo do Colegio Nacional de Buenos Aires. Somente para a secundária, conta com uma grade horária que inclui aulas de latim e francês (aqui você pode ver a grade horária correspondente a cada ano). Para entrar no instituto o aluno precisa fazer uma prova. Oferece um plano de 5 anos com a opção de um sexto ano para a especialização em ciências exatas, biológicas ou sociais.

Possui instalações para esportes, informática, biblioteca e laboratório de ciências.

Para entrar é necessária a realização de uma prova. Os alunos também realizam cursos preparatórios (porém não necessariamente o oferecido pela instituição) devido a enorme procura pelo instituto.

Onde:  Libertad 555  (pertinho do Teatro Colón) – San Nicolás

www.ilse.esc.edu.ar

* Escuela Superior de Comercio Carlos Pellegrini (ESCCP)

Outro colégio público tradicional, misto e laico também vinculado a UBA. Junto com o Colegio Nacional de Buenos Aires é um dos estabelecimentos mais prestigiados e exigentes da Argentina. Foi fundado pelo presidente Carlos Pellegrini em 1890 e se constituiu como a primeira escola de comercio do país.

O processo de seleção é o mesmo oferecido pelo Colegio Nacional de Buenos Aires.

Onde: Marcelo T. de Alvear 1851 – Recoleta

www.cpel.uba.ar

Foto: Reprodução

* Colégio Santa Teresa de Jesús

Por último o colégio mais querido de Buenos Aires, onde minhas irmãs estudaram e por tanto o único no qual posso dar uma opinião.

É um colégio privado, misto com orientação religiosa católica (com missas, momentos de oração antes da aula, etc). Oferece desde o jardim até  o nível secundário. Possui instalações para a prática de esportes, biblioteca, instalações de arte, auditório.

Possui a opção bilíngue (inglês) e além disso os alunos tem aula de português uma vez na semana (com uma professora paulista, com enfoque tanto na escrita como nos diálogos). Para os brasileiros (no caso minhas irmãs eram as únicas do colégio) a professora passava redações, sugeria alguns livros para que conhecessem melhor a nossa literatura, faziam uma prova a parte da básica feita pelos argentinos.

Ao chegar no Santa Teresa, minhas irmãs foram super bem recebidas  tanto pela equipe pedagógica quanto pelos alunos. Se sentiram bem desde o primeiro dia, entraram para a família teresiana vestindo a camisa e defendendo o colégio mesmo. Sentiam orgulho de fazer parte daquele ambiente. Os professores sempre foram muito atenciosos e dispostos a ajudá-las, a direção tinha uma boa comunicação com meus pais (inclusive ajudaram durante os períodos mais difíceis, como durante a Copa do Mundo de 2014) e cada sala possuía um comitê formado por dois pais (não sei se é uma prática normal nos outros colégios mencionados) no qual eles intermediavam decisões entre alunos-direção-pais, que funcionava muito bem.

Apesar de religioso, dava total liberdade para os alunos se expressarem e criarem (por exemplo: os formandos do ensino médio podiam enfeitar a sala com um tema elegido pelos alunos). Um daqueles colégios que tenho certeza que elas levarão no coração e terão boas memórias para a vida inteira.

Onde: Scalabrini Ortiz 2999  –  Palermo (perto do Jardín Botánico)

www.stateresa.com.ar

Foto: Reprodução

Mais uma vez repito que esse é apenas um post para tentar passar uma ideia de como são os colégios, alguns nomes e uma ferramenta de busca de referências. Esperamos ter ajudado, pelo menos um pouquinho.

Tem alguma outra sugestão ou experiência com colégios em Buenos Aires? Deixe seu comentário e assim fazemos um grande post informativo!

Anúncios